Carnaval paulistano sai por 22,7 milhões para cofres públicos

Acontece nesta madrugada a 2° noite de desfile das escolas de Samba de São Paulo. O Pólo Cultural e Esportivo Grande Otelo, conhecido como Sambódromo do Anhembi, abre esapaço para as 13 agremiações desfilarem todo o seu brilho e samba no pé, pista não vai faltar, são 530m de comprimento por 14m de largura de chão para o samba.

A escola Vai Vai  injetou R$ 3 milhões, maior cifra já investida até hoje no carnaval de São Paulo, já a Rosas de Ouro desembolsou R$ 2,5 milhões.  Este ano, o Carnaval 2010 deve atrair cerca de 30 mil turistas, sendo 6 mil estrangeiros, movimentando cerca de R$ 51 milhões, de acordo com a SPTuris – São Paulo Turismo. No ano passado, o evento atraiu o mesmo número de visitantes, com uma arrecadação de R$ 45 milhões durante os dias de folia – o número, frente a 2008, foi 12,5% maior. A expectativa de arrecadação deste ano, na comparação com o ano passado, é 13,3% maior.

Samba Enredo da Escola de Samba Gaviões, que desfilará nesta madrugada no Anhembi.

Para conseguir atrair os turistas, a Prefeitura da cidade investiu cerca de R$ 22,7 milhões no evento. O Carnaval está na lista daqueles que mais atraem turistas e movimentam a economia da capital paulista.

Origem do carnaval
O carnaval é uma festa que se originou na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C.. Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. Posteriormente, os gregos e romanos inseriram bebidas e práticas sexuais na festa, tornando-a intolerável aos olhos da Igreja. Com o passar do tempo, o carnaval passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica, o que ocorreu de fato em 590 d.C. Até então, o carnaval era uma festa condenada pela Igreja por suas realizações em canto e dança que aos olhos cristãos eram atos pecaminosos.
A partir da adoção do carnaval por parte da Igreja, a festa passou a ser comemorada através de cultos oficiais, o que bania os “atos pecaminosos”. Tal modificação foi fortemente espantosa aos olhos do povo, já que fugia das reais origens da festa, como o festejo pela alegria e pelas conquistas.

Em 1545, durante o Concílio de Trento, o carnaval voltou a ser uma festa popular. Em aproximadamente 1723, o carnaval chegou ao Brasil sob influência europeia. Ocorria através de desfiles de pessoas fantasiadas e mascaradas. Somente no século XIX que os blocos carnavalescos surgiram com carros decorados e pessoas fantasiadas da forma semelhante à de hoje.

A festa foi grandemente adotada pela população brasileira, o que tornou o carnaval uma das maiores comemorações do país. As famosas marchinhas carnavalescas foram acrescentadas, assim a festa cresceu em quantidade de participantes e em qualidade.
Fontes: Prefeitura SP, Brasil Escola


Negado habeas corpus para Arruda

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello decidiu manter preso o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), por tentativa de subornar o jornalista Edimilson Edson dos Santos, o Sombra, informou O Globo. O ministro negou o pedido de habeas corpus do governador.

Arruda se entregou à polícia na quinta-feira, 11 de fevereiro, depois que o Superior Tribunal de Justiça decretou sua prisão preventiva pelo oferecimento de propina ao jornalista. Sombra foi testemunha do escândalo de corrupção conhecido como mensalão do DEM, que atinge o governo do DF — um esquema de desvio de recursos públicos envolvendo empresas de tecnologia. Deputados, empresários, secretários de governo e o próprio Arruda aparecem em vídeos recebendo maços de dinheiro.

Como Sombra era testemunha no inquérito que investiga o esquema, Arruda teria oferecido a ele uma propina para que mudasse seu depoimento à Polícia Federal, dizendo que os vídeos seriam montados. Imagens obtidas pela PF comprovariam a tentativa de suborno: elas mostram um flagrante, montado pelo próprio jornalista, no qual ele recebe R$ 200 mil em espécie. O governador nega tanto o envolvimento no mensalão como a tentativa de suborno.

Histórico de Arruda
Em 1995  foi eleito Senador. Em 2001 foi acusado de violar o painel eletrônico que registrou os votos da sessão secreta que cassou outro senador do DF, Luiz Estevão, no ano de 2000. Arruda, na ocasião, negou com veemência a participação na fraude do painel eletrônico, porém, dias depois mudou seu discurso. E como de praxe, renunciou ao cargo legislativo para não correr o risco de ser cassado.

Acompanhe o discurso