Venda e consumo persistem na Cracolândia

Matérias sobre a Operação Sufoco na Cracolândia foram publicadas no O SÃO PAULO – edição 2884, de 17 de janeiro.

Enquanto o “churrasco da gente diferenciada” acontecia, dia 14, na esquina da rua Helvétia com Alameda Dino Bueno, acontecia sob a vigilância da Polícia Militar, na rua Barão de Piracicaba, o comércio de drogas a céu aberto. Cerca de 200 pessoas negociavam pedras de crack, ouvia-se o preço: 5 reais, 10 reais.

De dentro do ‘fumacê’, um jovem atravessou a rua e veio ao encontro da  reportagem do O SÃO PAULO, a quem tentou vender um celular por dez reais, insistiu e argumentou: “Tô precisando  de uma pedra, é dez, compra aí”, o preço caiu para 5. Diante das negativas, o jovem recorreu a um casal morador da região, que observava, com uma  criança, a movimentação.  A mulher tirou do bolso três notas de dois reais. O  celular foi vendido e o “barato” garantido.

Anúncios

0 Responses to “Venda e consumo persistem na Cracolândia”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




AQUI TEM…

Notícias sobre política(s), cinema, comportamento, culturas, meio ambiente, movimentos sociais, jornalismo, Brasil, América Latina e poesia.

O TEMPO PASSA…

janeiro 2012
S T Q Q S S D
« dez   fev »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Atualizações Twitter

Clique para assinar este blog e receber notificações de novos artigos por email

Junte-se a 569 outros seguidores

RSS Adital – América Latina e Caribe

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

RSS BBC Brasil.com


%d blogueiros gostam disto: